A infertilidade masculina pode dever-se a falta de selénio

Um em cada seis casais tem dificuldade em conceber. Em cerca de metade dos casos, o problema prende-se com a...

LEIA MAIS

A tiróide necessita de selénio para funcionar correctamente

Sabia que o mineral selénio contribui para o funcionamento normal da glândula da tiróide? Quando a função tiroideia é normalizada,...

LEIA MAIS

Tem as unhas quebradiças e o cabelo espigado?

Damos extrema importância ao nosso aspecto, e é por isso que ter unhas quebradiças e cabelo espigado pode ser muito...

LEIA MAIS

Introdução

O selénio é extraordinário a diversos níveis. A quantidade de selénio necessária à manutenção da saúde é muito reduzida, no entanto este micronutriente é decisivo no reforço de um grande número de funções biológicas do organismo. O selénio está envolvido em diversos processos biológicos: no sistema imunitário, sistema reprodutor, tiróide e cérebro, entre outros.

Este oligoelemento essencial, que obtemos na alimentação, está a despertar cada vez mais interesse público e científico. Podemos obter selénio quer pela ingestão de cereais ou vegetais que absorveram este nutriente a partir do solo. Podemos também obter selénio através da ingestão de carne ou lacticínios de animais que se alimentam desses cereais e vegetais.

O problema é a escassez de selénio. O solo agrícola de extensas regiões do mundo contém tão pouco selénio que se torna difícil para o ser humano ter um aporte suficiente apenas com a alimentação.

O selénio, descoberto pelo químico sueco Jöns Jacob Berzelius, em 1817, tornou-se uma das áreas de investigação mais apaixonantes. Para comemorar os 200 anos, em Agosto de 2017, realizou-se, em Estocolmo, uma conferência internacional sobre selénio, a Se2017. Investigadores de todo o mundo reuniram-se no prestigiado Karolinska Institute, onde apresentaram algumas das descobertas mais recentes sobre o papel do selénio na saúde humana.